BRIGA, organizaçom juvenil da esquerda independentista

Loja Virtual
Arquivo Gráfico
correio-e:
Compartilhar
Actualizada em
14/01/14
novas

UE e UdeVigo incitam jovens a emigrar

imagem

Campanha Rebelar-se no presente. Revelar o futuro.

Maio 2012

17 de abril tivo lugar a primeira palestra intitulada "Juventude, emprego e formaçom na UE" das várias que sobre este tema pretende levar a cabo a Secretaria de Estado para a Uniom Europeia. A Universidade de Vigo, ao serviço do capital, foi quem acolheu esta campanha começando pola faculdade de Telecomunicaçons.

Na CAG (Comunidade Autónoma Galega) os dados que lança a própria imprensa sistémica falam de 96% do desemprego destruido como juvenil, e na cidade de Vigo, onde se começou esta infame campanha contra os direitos da juventude trabalhadora galega, o desemprego juvenil atinge 80%. Os meios de comunicaçom, que publicárom a notícia e a manipulárom com o fim de apresentar a iniciativa como soluçom e integraçom pacífica e submissa no seu jogo capitalista, falam também de 61% de jovens que acham positivo ir-se ao estrangeiro enquanto afirmam linhas mais abaixo que 7 em cada 10 jovens nom se planteja marchar fora da Galiza. Mais umha mostra do manejo arbitrário de dados.

A juventude rebelde organizada em BRIGA nom nos deixamos manipular e apelamos à juventude a nom assistir a este tipo de eventos. Por trás da difusom da "mobilidade de trabalhadores/as na UE" agocha-se um chamamento à emigraçom. Sob as declaraçons de "a juventude quer estudar no estrangeiro" esconde-se umha intençom de salvar a imagem de políticos e forçar a juventude a emigrar. Temos o direito de atopar um trabalho digno na nossa Terra. Sabem da nossa precariedade e eventualidade, enriquecem-se fazendo-nos contratos lixo, mas o deterioro do capitalismo é tam grande que pretendem convencer-nos para que abandonemos o nosso país sob a escusa de salvaçom numha UE que impom duras medidas particularmente aos povos trabalhadores da periferia, explora, difunde miséria e só quer manter os seus privilégios.

Este novo passo que estamos a analisar mostra-nos a sua debilidade. Nom sabem que fazer. A juventude rebelde e trabalhadora galega devemos organizar-nos e exigir condiçons dignas na nossa naçom, rechaçar planos de austeridade que só servem para piorar as condiçons da classe trabalhadora. Cortes em educaçom, sanidade, emigraçom... Nós tampouco paramos! A juventude rebelde está farta deste sistema caduco e deste cárcere de povos chamado Espanha. Agora é o momento de pará-los!

REBELAR-SE NO PRESENTE, REVELAR O FUTURO!