BRIGA, organizaçom juvenil da esquerda independentista

Loja Virtual
Arquivo Gráfico
correio-e:
Compartilhar
Actualizada em
14/01/14
novas

Sabotam em Ponte Vedra o autocarro a favor da Constituiçom Europeia

imagem

Campanha Galiza contra a Constituiçom Europeia

Janeiro de 2005

Na manhá do 26 de Janeiro um grupo de encarapuçad@s "banhou de vermelho" o autocarro que se atopava diante da Casa do Concelho ao sofrer este o impacto de numerosos ovos de pintura.

A suposta campanha "informativa" que o Governo Espanhol está a desenvolver na Galiza com motivo do referendo do 20 de Fevereiro sobre o texto constitucional europeu está a ser umha autêntica burla, umha simples patranha que longe de informar rigorosa e objectivemente se posiciona com descaro a favor do voto afirmativo. Porém, o mais grave é o confusionismo que estám a espalhar as autoridades espanholas entre o Povo Trabalhador Galego ao enfeitarem a Uniom Europeia e a sua constituiçom com palavras como liberdade, justiça, igualdade, solidariedade. Sob estes bonitos termos e grandiloqüentes frases tiradas de contexto lidas por futbolistas, cantantes e jornalistas a soldo do sistema agacha-se a Europa das guerras imperialistas como a do Iraque, dos atentados ecológicos como o Prestige, da precariedade e da exploraçom laboral, do desemprego, a Europa dos Amáncios Ortegas e do capital, da repressom policial contra a dissidência política, a Europa que estabelece culturas de primeira e de segunda.

A juventude trabalhadora sabe o que significa a Uniom Europeia para a nossa naçom, e sabemo-lo porque o sofremos todos os meses trabalhando sem contratos, com soldos míseros, sem as mínimas medidas de segurança, cobrando menos por sermos mulheres e sendo discriminados pola nossa opçom lingüística.

Com esta acçom BRIGA pretende desmascarar as mesquinhas intençons do Governo Espanhol e segue a mostrar nom só com palavras mas com factos que o espaço natural de luita da mocidade revolucionária galega é a rua.

O 20 de Fevereiro a juventude revolucionária dirá sim à Europa da classe trabalhadora das mulheres e dos povos votandomos NOM à Constituiçom Europeia.