BRIGA, organiza�om juvenil da esquerda independentista

Loja Virtual
Arquivo Gr�fico
correio-e:
Compartilhar
Actualizada em
14/01/14
novas

BRIGA participou activamente na manifestaçom contra os lumes

imagem

Especial Se arde Galiza. Lume contra os responsáveis

Agosto de 2006

BRIGA participou na manifestaçom convocada o passado domingo 20 de Agosto em Compostela por Nunca Mais, dentro dum cortejo encabeçado pola Plataforma contra os incêndios florestais, da que BRIGA forma parte junto a outras organizaçons políticas e sociais, sob a a palavra de ordem Esta barbárie também tem responsáveis políticos. Tal como estava anunciado a Plataforma chamava a conformar um bloco crítico com a orientaçom que o autonomismo e a social-democracia espanhola pretendeu dar a esta mobilizaçom, utilizando-a para lavar a face ao bipartido PSOE-BNG e evitar a esigência de responsabilidades à Junta pola sua gestom durante a crise nacional provocada pola vaga de incêndios que a Galiza sofreu nas últimas semanas.

BRIGA assistiu com umha faixa na que se podia ler a legenda da campanha nacional Se arde Galiza, lume aos responsáveis que estamos a desenvolver em diferentes comarcas galegas.

@s jovens que assistimos denunciamos com nomes e apelidos tanto as causas estruturais que favorecem os lumes (o esvaziado do meio rural, desestruturaçom económica e territorial, inviabilidade económica do cámpo, todo elo propiciado polas políticas da UE e o Estado espanhol) como os interesses empresariais (imobiliários e madeireiros...) que estám por tras do terrorismo incendiário e que o discurso oficial nom se atreve a nomear.

Mas também assinalamos as responsabilidades dum executivo que reconheceu que a sua política em relaçom aos incêndios é exactamente a mesma que implementou o PP durante 16 anos de governo franguista, atrevendo-se ainda a afirmar que a situaçom estava controlada, quando a Galiza sofria um dos piores desastres ecológicos da sua história.

A nossa presença, junto com a do resto de colectivos e organizaçons que confromam a plataforma, impediu que a manifestaçom de Nunca Mais fora um acto de adesom social ao governo autonómico e espanhol, um movimento social manipulado para dar cobertura à sua incompetência.

De BRIGA seguiremos a mobilizar-nos contra o terrorismo incendiário, a denunciar os interesses capitalistas que estám a propiciá-lo, a deixar bem clara a responsabilidade da Junta e a pular porque o movimento popular nom seja refém das instituiçons e do autonomismo.

Se arde Galiza, lume contra os responsáveis!