BRIGA, organizaçom juvenil da esquerda independentista

Loja Virtual
Arquivo Gráfico
correio-e:
Compartilhar
Actualizada em
14/01/14
novas

Sucesso em Ponte Vedra da mobilizaçom contra a agressom nazi-sionista

imagem

Janeiro de 2009

Ponte Vedra foi umha das primeiras cidades galegas que acolheu umha mobilizaçom contra a agressom genocida do Estado de Israel contra o povo palestiniano. A concentraçom celebrou-se a terça-feira dia 30 de Janeiro e apesar da pouca antelaçom com a que foi convocada, assistirom algo mais de duascentas pessoas. O sucesso da convocatória de Ponte Vedra é umha constante que se repetiria nas numerosas mobilizaçons que se sucedem por toda a geografia nacional e que ponhem em evidência a enorme solidariedade do povo galego com Palestina e o rejeitamento que provoca a última agressom nazi-sionista.

BRIGA estivo presente na mobilizaçom portando umha faixa com a palavra de ordem “STOP terrorismo sionista. Palestina vencerá!” “. Durante a mobilizaçom, @s companheir@s do Grupo de Base de Ponte Vedra distribuírom um panfleto que reproduzimos a seguir:

Stop terrorismo sionista
Palestina vencerá!

O passado Sábado o governo sionista de Israel iniciou umha campanha militar contra o povo palestiniano dumha atrozidade com poucos precedentes. O feroz ataque aéreo sobre solo palestiniano assessinou a mais de 300 pessoas e feriu a mais de 1400, 120 das quais nom se aguarda que sobrevivam.

Após o ataque, a “comunidade internacional” nom fixo mais do que umha vergonhenta condena rumada a exonerar ao sionismo de culpabilidade. A operaçom militar israelita mais sanguenta desde a Guerra dos Seis Dias de 1967 produz-se sob o guarda-chuvas de EE.UU, da UE, da ONU e dos mass-meia burgueses que insistem em assinalar Hamas como principal responsável dos bombardeios israelitas. As declaraçons oficiais do ministro de Asuntos Exteriores espanhol casam como umha luva com este patrom.

Invoca-se a chamada “luita anti-terrorista” para justificar o brutal terrorismo de estado contra populaçom civil, silenciando as fontes que certificam que esta operaçom levava preparada desde há 6 meses. Repete-se até a náusea que “Israel nom foi quem rompeu a paz”, e que “nom ficava mais remédio que atacar”. Pom-se assi a fábrica de mentiras a funcionar: Converte-se aos verdugos em vítimas, aos assassinos em agredidos, mas a realidade segue acima da mesa: Centos de homens, mulheres, crianças e anciáns massacrad@s polos mísseis sionistas.

Contando com a luz verde internacional, o ministro de Defesa de Israel assegura, bem certo de que nom haverá conseqüências por parte dos seus sócios europeios e ianques, que os ataques continuarám enquanto ultimam a invasom terrestre. Ao tempo, as fronteiras seguem fechadas à entrada da ajuda sanitária depois de serem bombardeados armazéns de medicamentos ao Sul de Gaza.

A juventude revolucionária organizada em Briga quer manifestar o incondicional apoio a luita de Palestina contra o imperialismo, e denunciar a hipócrita inumanidade do estado nazi-sionista de Israel, assim como a vergonhenta actuaçom dos estados europeios e ianque, que passarám a história como instigadores, sufragadores e cúmplices do genocídio. Panfleto distribuído em Ponte Vedra

Panfleto distribuído em Ponte Vedra