BRIGA, organizaçom juvenil da esquerda independentista

Loja Virtual
Arquivo Gráfico
correio-e:
Compartilhar
Actualizada em
14/01/14
novas

Judicatura espanhola impede ampliaçom de horário de visita ao filho dumha mae transexual

imagem

Campanha Quem cho impede? Liberdade sexual, o nosso direito

Janeiro de 2009

A passada quarta-feira o Tribunal Constitucional espanhol resolvia em contra do recurso apresentado por Alexia Pardo, mulher transexual luguesa que em 2005 recorrera a sentença da Audiência Provincial de Lugo na que se lhe proibia ver ao seu filho mais de 2 horas cada 15 dias em presência de dous psicólogos e a sua ex-mulher.

O veredicto judiciário ignorou a avaliaçom psicológica positiva do menor, que assinalava que o rapaz é consciente da situaçom e nom tem nengum problema com que o seu pai mudasse o seu sexo biológico. Maliá todo isto, para preservar “a estabilidade mental do menor”, a judicatura espanhola demonstra que lhe preocupa mais “limpar” as candidaturas de opçons politicamente incorrectas antes do que ensaiar os mínimos de justiça que deveriam aplicar.

Eis a face por trás da carouta do estado democrático e laico: Umha estado de excepçom para todo aquelo que reivindique a diferença, lesbigaytransfóbico e aliado com a Igreja integrisca católica.

A mae já decidiu recorrer ante o Tribunal de Estrasburgo por violaçom dos seus direitos fundamentais.