BRIGA, organizaçom juvenil da esquerda independentista

Loja Virtual
Arquivo Gráfico
correio-e:
Compartilhar
Actualizada em
14/01/14
novas

Montagem integrista-policial contra militantes de BRIGA em Ferrol

imagem

Campanha Quem cho impede? Liberdade sexual, o nosso direito

Outubro de 2009

Na manhá do 16 de Outubro dous militantes de BRIGA fôrom chamad@s a declarar aos julgados de Ferrol acussad@s dumhas supostas faltas por “desordens públicas”. @s jovens acudírom aos julgados sem ter um conhecimento concreto dos factos polos quais eram argüíd@s, mas depois de terem acesso às diligências abertas pudêrom constatar que se tratava dumha nova montagem policial contra a militáncia juvenil da esquerda independentista, em co-ordenaçom com elementos anti-abortistas.

Os factos fam-nos retroceder até Abril deste mesmo ano em que @s elementos ultra-reaccionários, em qualidade de denunciantes, fôrom vítimas dumha agressom quando estavam a recolher assinaturas em contra da Lei do Aborto do governo de ZP cuns cartazes nos quais se comparavam às crianças com espécies animais em perigo de extinçom. Imediatamente depois, diversos meios de comunicaçom locais informavam do sucedido e a polícia espanhola anunciava detençons.

As anunciadas detençons nom se produzírom naquela altura, mas agora som militantes de BRIGA quem estám no ponto de mira. A identificaçom d@s jovens resulta esperpéntica já que umha das pessoas denunciantes, elemento da associaçom integrista católica Hazte oír, utiliza um vídeo gravado –por ele mesmo, agora em qualidade de membro de Galicia Bilíngüe- durante umha concentraçom protagonizada pola Fundaçom Artábria ante o autocarro espanholista d@s bilíngües na que participavam @s noss@s companheir@s, e assinalad@s pola polícia espanhola como membros de BRIGA.

Nom é de estranhar a multifuncionalidade militáncia neofascista na Galiza, já que como se vê, tanto estám na infame Galicia Bilíngüe como no integrismo católico de Derecho a Vivir, etc.

Nom é de estranhar que à militáncia de BRIGA se lhe pretendam atribuir todo tipo de acçons contestatárias contra as diversas manifestaçons do integrismo católico, tendo em conta o nosso accionar conseqüente com a defesa do direito a decidirmos sobre os nossos corpos. Tampouco é de estranhar que os serviços de informaçom da polícia espanhola tire da sua “lista negra” enquanto há algum sucesso deste tipo porque já nos tenhem acostumad@s na sua cruzada particular contra a militáncia da esquerda independentista nesta comarca.

De BRIGA expressamos a nossa solidariedade e apoio ao e à companheir@ e aguardamos a livre absoluçom das faltas que se lhes imputam ante esta argalhada de madeiros e integristas.