BRIGA, organizaçom juvenil da esquerda independentista

Loja Virtual
Arquivo Gráfico
correio-e:
Compartilhar
Actualizada em
14/01/14
novas

BRIGA continua a denunciar ocultaçom policial das violaçons em Ponte Vedra

imagem

Especial Comissom Nacional da Mulher

Abril de 2010

O Grupo de Base de BRIGA na cidade do Leres persistiu na denúncia do silenciamento de várias agressons sexuais e ataques a mulheres, factos que nem a polícia nacional espanhola nem a Subdelegaçom do Governo dérom a conhecer desde o seu início, há mais de três meses.

Nas últimas semanas realizárom-se diversas colagens de faixas e cartazes do curso de autodefesa em marcha combinadas com a folha agitativa comarcal (BRIGA na Rua), privilegiando as zonas de grande concentraçom de jovens como o recinto feiral, o casco velho, Campolongo, estaçons de autocarros e comboios, redondezas dos centros de ensino, etc. Por enquanto, os factos denunciados seguem nesse limbo ao que os poderes fácticos municipais e espanhóis enviam todo o que nom lhes favorece na sua quota de propaganda diária sobre a protecçom e o serviço às pessoas.

As jovens de BRIGA nom esquecemos estas agressons nem descartamos outras novas, e somos conscientes que decerto numha cidade tam pequena como a de Ponte Vedra é perfeitamente possível cruzar-se com o/s agressor/es polas ruas, passeando tranqüilamente sabedores de que vivem num sistema que os olha como um mal menor. Tam menor é, que nos obriga a padecer umha justiça na qual um guardia civil pode assassinar de um tiro na cabeça a sua ex-companheira e sair em liberdade aos dous anos, ou onde as violaçons nom merecem umha só declaraçom institucional nem "preocupaçons policiais" para deter aos culpáveis. Ante esta grande desprotecçom evidência-se que só um processo de auto-organizaçom feminista forte pode parar-lhe os pes à violência machista.

Paremos o terrorismo machista!!

Ver também o especial: Comissom Nacional da Mulher