BRIGA, organizaçom juvenil da esquerda independentista

Loja Virtual
Arquivo Gráfico
correio-e:
Compartilhar
Actualizada em
14/01/14
novas

Grande sucesso da Greve Geral do 29S

imagem

Campanha Tempo de crise, tempo de luita

Setembro 2010

A jornada de luita e de demostraçom de força obreira convocada para o dia de ontem sob a consigna de impedir a aplicaçom da Reforma Laboral e os abusos da burguesia foi secundada por mais de um 80% das trabalhadoras e trabalhadores galeg@s, um 10% mais do que no Estado espanhol.

Desde as primeiríssimas horas os piquetes trabalhárom para que os patrons nom impossibilitassem os paros na turma de noite e tivérom também lugar numerosos cortes do tránsito em Ponte Vedra, Ourense, Corunha, Compostela... Pola sua relevância e efectividade cumpre destacar a paralisaçom do aeroporto da Corunha e Compostela, do peirao exterior da Corunha e o pesqueiro em Vigo, de Cepsa, Repsol, Caramelo, Zara Logística, Pull&Bear Logística, Adif, Renfe Operadora, Navantia, Alcoa Inespal, Ferroatlántica e Citroën, Alcampo em Ferrol, o Corte Inglês em Corunha e os armazéns centrais de Froiz. Visibilizou-se também o paro na publicaçom de jornais de propaganda da burguesia (Faro de Vigo, La Opinión e Xornal de Galicia nom pudêrom ser distribuídos).

Por sectores, segundo os últimos dados facilitados pola Confedaraçom Intersindical Galega, superou-se o 75% de participaçom na indústria e na construçom. À volta dum 80% e um 90% no transporte, o único aeroporto que mantivo voos foi o de Lavacolla, com 10 viagens. Um 100% na limpeza viária, na recolhida do lixo e do naval. As universidades galegas nom contárom apenas com actividade, nom assim no ensino secundário que foi à roda dum 50%. Entre um 60% e 70% na banca e arredor do 50% na administraçom pública, agás em Compostela que fôrom superadas polo 90%. Em relaçom a polémica dos serviços mínimos lembremos que a CIG interpuxo já um recurso contencioso administrativo contra o abusivo decreto aprovado pola Junta da Galiza mediante o qual os estabelecia, em especial pola sua gravidade a esigência de umha cobertura do 100% na plantilha de prevençom de incêncios.

Por outra banda, a acostumada perseguiçom e repressom policial deixou arredor de 19 detidos polo facto de defender consequentemente os nossos interesses de classe.

No referente as moblizaçons convocadas nas principais vilas e cidades galegas fôrom secundadas por um importante número de trabalhadores/as demostrando que Galiza tem força para fazer-lhe frente a rapina burguesa.

BRIGA seguirá informando sobre o sucesso de umha Greve Geral que fijo possível a classe obreira galega e em breve disponibilizaremos a nossa valorizaçom desde umha perspectiva juvenil.

Solidariedade com os detidos!!

Acabemos com a rapina burguesa!!

Ver também a campanha: Tempo de crise, tempo de luita