BRIGA, organizaçom juvenil da esquerda independentista

Loja Virtual
Arquivo Gráfico
correio-e:
Compartilhar
Actualizada em
14/01/14
novas

Mais umha greve geral!

imagem

Campanha Tempo de crise, tempo de luita

Janeiro de 2011

BRIGA quer manifestar a sua satisfacçom pola convocatória de greve geral anunciada pola CIG para o vindouro 27 de Janeiro contra a reforma do sistema de pensons promovida polo governo antiobreiro do PSOE.

Saudamos a iniciativa da maior estrutura do sindicalismo nacional e de classe, quem dá um passo muito importante com esta convocatória de greve geral fugindo dos ritmos que estava a impor o sindicalismo espanhol. Pésie a ficar aberta a adesom das centrais sindicais espanholas, a direcçom da CIG deve mostrar passos firmes e decididos concretando um programa reivindicativo e umha planificaçom de agitaçom sindical que permita acumular forças entre o povo trabalhador galego para conseguir umha jornada de luita contra o Capital que logre atingir, e incluso ultrapassar, o éxito do 29S. Os receios mantidos até o de agora, que só criavam desesperaçom e descrédito, já nom devem ter lugar.

A juventude obreira rebelde organizada em BRIGA contribuimos, na medida das nossas capacidades, para a convocatória desta nova greve geral demandando desde o passado 30 de Setembro junto às outras entidades do MLNG e outros sectores da esquerda nacional a reclamar mais umha greve geral que logre pôr freio aos agressivos planos da burguesia executados polo bom talante dos seus lacaios representantes políticos.

Olhamos nesta convocatória de greve mais umha ocasiom na que demostrar a força da nossa classe, onde a juventude trabalhadora deve destacar-se na luita contra este sistema que só nos oferece incertidom com os elevados índices de desemprego, frustraçom com a forte precariedade laboral que sofremos ou a miséria à qual nos condenam por uns baixos salários.

Em Junho passado foi a reforma do mercado laboral a que ponhia no ponto de mira à juventude obreira, agora a reforma do sistema de pensons, que se bem nom nos assinala no imediato, está claro que somos futura carne de canhom. Devemos recolher o exemplo da juventude rebelde francesa e das naçons oprimidas polo estado francês que soubo compreender o cerne do problema botando-se às ruas na defesa dos direitos sociais do povo trabalhador.

Avante a luita obreira!!

Ver também a campanha: Tempo de crise, tempo de luita