BRIGA, organiza�om juvenil da esquerda independentista

Loja Virtual
Arquivo Gr�fico
correio-e:
Compartilhar
Actualizada em
14/01/14
novas

A por mais umha greve estudantil

imagem Maro 2013

Eles continuam. Ns nom devemos ficar impasveis. E muito menos quando a crise do capitalismo est evidenciando o que jovens revolucionri@s como ns levamos dizendo desde h vrios anos. O capitalismo espanhol est esgotado, a corrupom inerente a este sistema de misria sai luz fruto das contradions e desputas dumha burguesia incapaz de reverter a situaom. Neste contexto, afianar e endurecer a ideologia dominante torna-se vital para a classe dominante que nos oprime como naom, classe e gnero.

O objetivo somos as e os jovens. O objetivo evitar que o estudantado se organize, que a juventude fale galego, tenha conscincia crtica ou exija um ensino laico e totalmente pblico. A greve estudantil e as mobilizaons do estudantado a incios de fevereiro, constatrom um ponto lgido da conscincia na populaom mais jovem contra as injustias que padecemos, concretamente no ensino, inserido na mar privatizadora neoliberal que a burguesia tenta impor.

O estudantado galego mostrou o seu rechao LOMCE por espanholizadora, antidemocrtica, machista, religiosa, autoritria e totalmente em contra da nossa emancipaom. Mas esta primeira mobilizaom, ao igual que as greves gerais entendidas como luita contra o capital por parte da classe trabalhadora, nom deve ficar tam s em jornadas de luita distanciadas, pois o fervor dos dias de mobilizaons decai com a passagem do tempo se nom segue a agitaom nas ruas e a luita diria nos centros de ensino. Devemos manter a chama acessa e marcar como objetivo a retirada da LOMCE, estruturar mobilizaons encadeadas, contnuas. Eis o caminho.

por isso que de BRIGA exigimos mais umha greve geral e afirmamos rotundamente que essa palavra de ordem a levaremos s ruas para manter vivo, dentro do possvel, o combate estudantil contra a lei que quer um ensino espanhol, segregador e incompetente.... at conseguirmos o Ensino Nacional Galego, que nom senom democrtico, de qualidade, feminista e pblico.