BRIGA, organiza�om juvenil da esquerda independentista

Loja Virtual
Arquivo Gr�fico
correio-e:
Compartilhar
Actualizada em
14/01/14
novas

A.C. Revuelta en el Frenopático de Lalim contraprograma os festejos "oficiais" da vila do Deça

imagem

Setembro de 2005

"Actividades contra-culturais autogestionadas nas festas de Lalim para fazer frente por séptimo ano consecutivo a uns festejos roubados ao povo polo Concelho do PP". Assim define a Associaçom Cultural Revuelta en el Frenopático a nova ediçom dos anti-concertos que esta entidade organiza os dias 24 e 25 de Setembro na capital da comarca do Deça.

Sob a legenda Festas si, luita tamém. Os festejos som nossos e nom dos poderosos esta dinámica Associaçom fai frente ao programa de festejos desenhado polo Concelho de Lalim, governado polo Partido Popular com mao de ferro, que mais umha vez aposta pola música das orquestras de moda e grupos comerciais espanhois, tais como El sueño de morfeo ou Iguana Tango.

A organizaçom dos anti-concertos, as únicas actividades populares de Lalim organizadas sem nengum tipo de subsídios, veu acompanhada dumha ofensiva por parte do Partido Popular para desacreditar o trabalho d@s companheir@s de Revuelta en el Frenopático. Assim o Concelheiro de Festejos e Ócio chegou a declarar que os anti-concertos som "umha estupidez própria de gente estúpida".

Tristemente o caso de Lalim nom é nengumha excepçom, senom a norma no que se refire aos paradigmas utilizados pola maior parte das corporaçons municipais e Comissons, para confeccionar os programas das festas. Há umha aposta clara por excluir dos festejos populares a música feita na Galiza e em galego ou feita fora dos parámetros que marcam os traficantes e proxenetas do ócio (grandes discográficas, mass média, etc.).

É difícil topar na Galiza, concelhos, comissons ou entidades que arrisquem com um modelo que rache com os ditados que marcam os 40 Principales, ou se neguem a contratar a orquestras rançosas, que promovem o espanholismo do pasodoble, da españa cañí e de paquito el chocolatero e alentam nos cenários o pior do patriarcado.

É por isto que de BRIGA encorajamos às/aos companheir@s de Lalim a continuar com o seu combate ao caciquismo e animamos a participar nestes VII Anti-concertos.

A seguir reproducimos o programa,

VII Anti-concertos (Setembro 2005)
Pavilhom do Colégio Manuel Rivero-Lalim

Sábado 24 às 23:00 horas

Soak, punk-rock do Morraço
Tiro na Testa, punk-rock de Lalim
Skacha, street-punk de Vigo
Puagh!, hardcore de Valladolid

Domingo 25 às 23:00 horas

Última Sakudida, punk de Lalim
Ofensiva, NY-hardCore de Vigo
Skarmento, punk de Donramiro
Ictus, hardcore de Lugo
Hachazo, brutal-punk de León

O preço da entrada é de 3 € por dia