BRIGA, organiza�om juvenil da esquerda independentista

Loja Virtual
Arquivo Gr�fico
correio-e:
Compartilhar
Actualizada em
14/01/14
novas

A juventude obreira contra a guerra imperialista

imagem

Maro 2011

O mesmo estado burgus cujo presidente se fotografava nom h muitos meses com o lder lbio Khadafi, dispujo os primeiros avions que bombardeam desde a tarde de onte o pas do norte africano. Frana comeou com o despregamento por r que j continurom o Reino Unido e EUA. Os trs pases, membros da aliana terrorista OTAN, estm "legitimados" polo espantalho da ONU e apoiados por alguns outros estados que tambm aderrom iniciativa blica.

Entre esses estados est o espanhol, com importantes bases militares no territrio galego, e que dever responder ante a histria com Zapatero cabea polos crimes que o imperialismo provocar de forma visvel na Lbia. Crimes impunes como os executados polo chefe do estado lbio durante mais de quarenta anos, durante os quais o seu regimem tem sido acusado das mais diversas actividades ditas "proterroristas", assim como tambm doutras actuaons nom tam contrrias aos interesses do imperialismo, como o recente financiamento da campanha eleitoral de Sarkozy.

Porm, e em meio do sangue e fogo que crua as fronteiras de vrios pases rabes, quando no Imen, Bahrein, Marrocos, Arbia Saudita ou Sria continua a morrer a gente massacrada polas foras de repressom, a determinaom do imperialismo tem sido colocar todas as luzes sobre Lbia, exercendo umha censura desde h semanas que como regra impediu a informaom livre sobre os acontecimentos em curso numha grande rea do planeta.

O povo trabalhador dos estados em conflito nom precisa da salvaom do neofascismo pr-ianque e pr-UE. Nom precisa de saqueios imperialistas nem de grandes oportunidades para o negcio a raiz da devastaom, como honestamente e sem vergonha manifestava o presidente das Cmaras de Comercio espanhol Gmez-Navarro respeito da situaom de Japom. Nom precisa de ambiciosos emprendedores capitalistas que aproveitem a crise de poder que se gerar em Lbia para passar das boas negociaons com que at hoje se abria o mercado daquele pas, ao avassalamento sem soberanias de por meio.

A juventude galega trabalhadora contra a guerra imperialista, as suas burdas manipulaons, a sua intoxicaom meditica, o seu cinismo atroz e a sua violncia mortal. Somos pola revoluom dos e das trabalhadoras dos povos do mundo contra os tiranos e a dominaom do capital sobre o trabalho.

NOM GUERRA IMPERIALISTA!